FANDOM


Domingo Legal é um tradicional programa de auditório dominical do SBT. Estreou em 17 de janeiro de 1993 inicialmente apresentado por Gugu Liberato e posteriormente por Celso Portiolli.

História

Fase Gugu (1993-2009)

O programa inicialmente era uma versão dominical do clássico Viva a Noite. Programa das noites de sábado que consagrou Gugu Liberato como apresentador. O Domingo Legal era mais um dentre inúmeros programas comandados pelo animador, como o Corrida Maluca, Passa ou Repassa, Cidade Contra Cidade, Programa de Vídeos, entre outros.

O programa estreou em 17 de Janeiro de 1993, às 13h, como uma das atrações do Programa Silvio Santos. Nos primeiros anos, o formato era baseado em apresentações musicais, gincanas com famosos. Entre os quadros mais marcantes desta época, estão o "Taxi do Gugu", "Sentindo na Pele", "Gugu na Minha Casa" e a gincana "Eles contra Elas" que tinha brincadeiras como "Prova do Tato", "Prova do Desenho", "Mão no Bicho". Sem esquecer do mais famoso e polêmico quadro da história do programa, a "Banheira do Gugu". Outro sucesso foi o "Bom Dia Legal", que consistia em acordar famosos com o uso de uma buzina. Inicialmente comandado por Otávio Mesquita, e depois pela dupla ET & Rodolfo

Inicialmente gravado, o programa passou a ser exibido ao vivo a partir de 7 de agosto de 1994. De 1994 a 1997, o Domingo Legal foi exibido do 12h às 16h, com quatro horas de duração.

O programa conquistava maior audiência com o passar dos anos, passando a ser um dos programas mais assistidos do SBT. Conquistou uma das maiores audiências em 3 de março de 1996, com a cobertura do acidente que matou o grupo Mamonas Assassinas, marcando 37 pontos de média. A partir de 1997, com a mudança de horário, iniciou uma histórica e acirrada guerra de audiência com o já tradicional Domingão do Faustão. Ficando na liderança de audiência em muitos domingos. Logo se tornou um dos mais assistidos do SBT e conseguiu rápida identificação do público,

Foi um dos primeiros programas a usar a internet para interagir com o público ainda no final dos anos 90. Com mensagens enviadas por telespectadores por email ou um site de mensagens, que eram exibidas na atração ao vivo. Entre outros destaques da época estão o quadro "A Princesa e o Plebeu", comandado por Netinho de Paula, onde uma telespectadora selecionada ganhava um verdadeiro "dia de princesa" com direito à limusine, champanhe e uma transformação no visual. Além do "Helicóptero do Gugu" que sobrevoava a cidade de São Paulo todo domingo, jogando objetos no céu como o "Paraquedas Premiado".

Esse mesmo helicóptero usado no quadro também servia para a núcleo jornalístico do programa, que foi inserido em 1996. Com Sônia Abrão e Silvana Kieling no quadro "Notícia Urgente" ao lado do Comandante Hamilton. A atração realizou várias coberturas jornalísticas na época como a do assassinato de PC Farias, o sequestro do irmão da dupla Zezé di Camargo & Luciano, o acidente do cantor Herbert Vianna, a rebelião no Carandiru e as enchentes em São Paulo.

Na década de 2000, destacaram-se vários quadros assistencialistas destinado a realizar sonhos dos telespectadores, como o "De Volta para Minha Terra" e "Construindo um Sonho" (lançado em 2008), No "Devo, não nego. Pago quando puder." telespectadores endividados selecionados pela produção encaravam um desafio para conseguir o prêmio em dinheiro para quitar uma dívida. Outros quadros também fizeram sucesso como o "Dormindo Legal", "Mais uma Chance", "Verdade ou Mentira?", "Essa Nota Vale uma Nota" e "Troca Legal".

Contudo, após o escândalo envolvendo a falsa entrevista com membros do PCC, o programa teve sua imagem queimada perante o público e perdeu audiência. De 18 pontos de média em 2003, caiu para 12 em 2006. Com isso, a atração tinha sua verba reduzida pela emissora. E Gugu recebia constantes convites da Record, que queria contratá-lo.

Diante das especulações sobre sua futura troca de emissora, o SBT resolveu inverter os horários do Domingo Legal e do Programa Silvio Santos no primeiro semestre de 2009. O DL passou a ser exibido das 12h às 16h, enquanto a atração de Silvio Santos passou para mais tarde, das 16h às 22h30. E em 25 de Junho, Gugu Liberato assinou com a Rede Record e passou a receber R$3 Milhões de salário.

Em 12 de Julho, Celso Portiolli estreou como o novo apresentador da atração. O programa manteve alguns quadros que já eram presentes quando Gugu apresentava. Mas também estreou novos quadros e relançou outros como o "Piscina Legal", "Lendas Urbanas" e "Telegrama Legal". Um dos grandes destaques desta fase foi o game "Meu Pai é Melhor Que o seu Pai", versão brasileira de um programa americano.

Em 2013, o programa reestreou o Passa ou Repassa, um dos programas mais marcantes da emissora tornou-se quadro do DL. Em 2014, houve a estreia dos quadros "De Quem é Essa Mansão?", "Afunda ou Boia" e "Se virar, tem que beijar". Além do retorno do "A Princesa e o Plebeu" e da estreia do reality "Os Paranormais". Em agosto de 2015, devido a estreia Mundo Disney, o Domingo Legal perde suas duas horas de duração, passando a ser exibido das 13h às 15h.

Em 7 de Dezembro de 2016, devido à constante audiência baixa, a emissora anunciou o fim do programa para Fevereiro do ano seguinte. Mas em 27 de Janeiro de 2017, foi anunciado que o cancelamento não aconteceria mais.

Polêmicas

Falsa Entrevista do PCC

No dia 7 de Setembro de 2003, o programa enfrentou o maior escândalo de sua história. A atração exibiu uma entrevista gravada com dois supostos integrantes da facção criminosa PCC, dentro de um ônibus, e realizada pelo repórter Wagner Maffezoli. Os bandidos fizeram ameaças ao então vice-prefeito da de São Paulo Hélio Bicudo, à José Luiz Datena, Marcelo Rezende e policial Oscar Roberto Godói. Eles também também assumiram a tentativa de sequestro do padre Marcelo Rossi, que ocorreu menos de uma semana antes.

No dia seguinte, os jornalistas citados fizeram duras críticas a Gugu. Marcelo Rezende no Repórter Cidadão da RedeTV! afirmou que a entrevista era mentirosa, e Datena no Brasil Urgente afirmou que a entrevista causou pânico em sua família. E ainda ameaçou processar o animador e Silvio Santos. Com indícios de que a reportagem teria sido uma fraude, além da Polícia Civil de São Paulo ter aberto um inquérito para as denúncias de veracidade, em 15 de Setembro Gugu foi ao programa de Hebe Camargo e reafirmou que a entrevista era verdadeira, ainda pediu desculpas aos ameaçados pela dupla e disse não ter tido conhecimento da reportagem confiando em Wagner Maffezoli.

O PCC emitiu um comunicado à imprensa negando as ameaças e dizendo que os dois homens mostrados não eram do grupo. No dia 17, a Polícia concluiu que o vídeo era uma farsa e tinha o envolvimento da produção do programa. Os "bandidos" na verdade eram homens recrutados pela produção, e a entrevista foi improvisada no estacionamento da emissora. Hamilton Tadeu dos Santos, o Barney, que prestava serviços ao SBT, admitiu a farsa. Um dos homens que atuou como bandido afirmou que recebeu R$150 reais pela falsa entrevista e revelou que atrás do câmera havia um cartaz indicava os pontos principais que ele deveria abordar.

A juíza Leila Paiva, da 10ª vara federal, determinou na noite do dia 19 de setembro, a suspensão no dia 21, do Domingo Legal. Entendendo que o programa fez apologia ao crime, causou dano moral à coletividade, além das dúvidas quanto à veracidade da entrevista. Naquele domingo, o programa não foi ao ar, sendo substituído por uma reprise do Troféu Imprensa. Nas semanas seguintes, a produção e Gugu foram depor delegacia. O apresentador reafirmou que não sabia do teor da entrevista e que não participou da farsa, pois na época, seu pai estava hospitalizado. Já Hamilton, o Barney, afirmou que ele sabia da farsa.  

Em 11 de novembro de 2003, a juíza da 2ª Vara Criminal de Osasco, Izabel de Castro, mandou a polícia indiciar formalmente Gugu Liberato, o chefe de reportagem, o repórter, o produtor e os dois atores, para responderem pelos crimes de imprensa e de ameaça. Porém, em 14 de novembro, presidente do Tribunal de Alçada Criminal, José Renato Nalini, concede liminar em hábeas-corpus para que Gugu não seja indiciado. Ele nunca foi indiciado formalmente. Em 10 de dezembro de 2003, o Ministério das Comunicações multou o SBT em R$ 1.792,53 pela falsa entrevista. O Supremo Tribunal de Justiça condenou Gugu e o SBT a pagarem indenização à Oscar Roberto Godói, um dos ameaçados. 

Com a enorme repercussão da mídia no caso, o Domingo Legal teve sua imagem manchada permanentemente. Foi perdendo a audiência e nunca mais foi o mesmo do passado. O caso contribuiu para que a concorrência no horário tivesse ganhos na audiência, como o Domingão do Faustão e o Pânico na TV (que estreava recentemente).

Quadros

Atuais

  • Celso Visita
  • Comprar é Bom, Levar é Melhor
  • Construindo Um Sonho
  • Esta é a Sua Vida
  • Malucos Molhados
  • Passa ou Repassa

Antigos

  • A Princesa e o Plebeu
  • A Primeira Vez
  • Aconteceu Comigo
  • Afunda ou Boia
  • Arquibancada do Riso
  • Banheira do Gugu
  • Batalha das Estrelas
  • Batalha Naval
  • Bate Coração
  • Bom Dia Legal
  • Conexão Hollywood
  • De Quem é essa Mansão?
  • Devo Não Nego, Pago Se Puder
  • De Volta Pra Minha Terra
  • Dormindo Legal
  • Duetos
  • Eles x Elas
  • Encontro Especial
  • Entrevista Legal
  • Essa Nota Vale Uma Nota
  • Família Pimenta
  • Gugu Na Minha Casa
  • Homenagem Especial
  • Jogo do Amor
  • Lendas Urbanas
  • Loucuras de Amor
  • Meu Pai é Melhor Que Seu Pai
  • Qual é o Mistério?
  • Qual é o Seu Sonho?
  • Quem Casa, Quer Casa
  • Sentindo na Pele
  • Se Virar, Vai Ter Que Beijar
  • Táxi do Gugu
  • Telegrama Legal
  • TOP 10 da Internet
  • TV Fuxico
  • Verdade ou Mentira
  • Vigilância Total
  • Você Não Vale Nada, Mas Eu Gosto de Você
  • O Preço da Verdade