FANDOM


1981-1.png

Nesta próxima sexta, 19 de Agosto, o SBT completa 35 anos de existência. A Rede de TV de Silvio Santos se consolidou ao longo dos anos como uma das maiores e mais amadas emissoras do país. Refletindo sempre o estilo de seu criador, o SBT não tem público, mas sim “fãs”. Foram inúmeras vezes que o canal fez história na TV brasileira, lançando artistas, formatos e dando dor de cabeça ao monopólio da Globo diversas vezes.

Quem entende de televisão já conhece a história do SBT, e ela pode ser vista no artigo feito para ela aqui na TV Pédia Brasil. Esse post não veio para falar do SBT e sim de sua concorrência. Aqui vamos rever um pouco como era a televisão brasileira no ano em que o canal de Silvio Santos foi inaugurado, em 1981.

Em 1981, a Rede Globo de Televisão reinava absoluta na audiência. Sem a concorrência da Rede Tupi que fechou as portas em 80, e sem nenhum canal forte para bater de frente, a emissora de Roberto Marinho viu seu monopólio ganhar mais força.

Quem está acostumado com a grade atual quase imutável estranharia um pouco a programação da época. As transmissões se iniciavam às 6h30 com os tradicionais Telecursos. O Bom Dia São Paulo , que se iniciava às 7h, tinha duas edições (o Bom Dia Brasil só estreou em 1983). O TV Mulher entrava às 8h, seguido pelo Globo Cor Especial ao meio-dia e pelo Globo Esporte às 13h. O Jornal das Sete, que ia ao ar entre as novelas das 18h e 19h, era o estilo padrão do jornalismo local da época. A Sessão da Tarde era exibida um pouco mais cedo que nos dias de hoje, às 14h30. Já o Globinho era exibido às 17h25, com apenas 5 minutos de duração. O Jornal Nacional curiosamente tinha uma segunda edição, exibida às 23h10. Essa edição foi substituída pelo Jornal da Globo anos mais tarde.

Dentre as novelas daquele ano, Baila Comigo trazia a primeira Helena de Manoel Carlos, vivida por Lilian Lemmertz. A trama foi substituída em setembro por Brilhante, de Gilberto Braga. O horário das seis teve a primeira versão de Ciranda de Pedra, escrita por Teixeira Filho, e Terras do Sem-Fim de Walter George Durst. Já o horário das sete contava com Plumas e Paetês de Cassiano Gabus Mendes e O Amor é Nosso de Roberto Freire e Wilson Aguiar Filho. Está última aliás, protagoniza uma velha lenda urbana de que a emissora teria descartado as fitas da produção tamanho o desagrado com a novela.

No mesmo ano, a Globo também exibiu a polêmica série Amizade Colorida, protagonizada por Antônio Fagundes. Uma série que ficou pouco tempo no ar já que causou o repúdio do público mais moralista. Além desse, teve também Obrigado Doutor, protagonizado por Francisco Cuoco. O “jovem” Vale a Pena Ver de Novo reprisava naquele ano a novela Te Contei?.

No ano de 1981, com a extinção da Rede Tupi, a Bandeirantes servia como uma segunda opção de telenovelas. Muitos podem não acreditar, mas naquela época a emissora investia bastante em teledramaturgia. Mesmo nunca sendo uma ameaça ao monopólio global, o canal chegou a exibir grandes novelas. Naquele ano, Ivani Ribeiro chegava ao canal 13 com a novela O Meu Pé de Laranja Lima. Rosa Baiana de Lauro César Muniz, ambientada totalmente na Bahia, foi a primeira produzida apenas em externas, sem cenários artificiais.

Hebe Camargo também estava presente na programação do canal dos Saad. Ela comandava seu tradicional programa desde 1979 nas noites de domingo e ficou por lá até 1985, quando foi contratada pelo SBT.

Talvez as gerações mais novas não saibam, talvez nem acreditem. Mas Silvio Santos já foi dono da Record. Nesse ano, ele dividia o controle acionário junto com os herdeiros de Paulo Machado de Carvalho. O canal encabeçava a “Rede de Emissoras Independentes”, a REI, e com o fim da “pioneira”, tornou-se a emissora mais antiga em atividade no Brasil.

Mesmo assim, a situação do canal não era das melhores, muito pelo contrário. Sofria com a crise que se iniciou na década passada. Sua programação basicamente era de filmes, séries antigas e desenhos animados. A situação piorou quando o SBT foi inaugurado e Silvio deixou de lado os cuidados com o canal 7. Tornou-se basicamente uma retransmissora da nova rede de televisão. O Bozo e o Gugu já deram as caras por lá naquela época.

A TV Cultura naquela época ia ao ar sob a alcunha RTC (Rádio e Televisão Cultura). O canal 2 da Fundação Padre Anchieta mantinha a sua missão em trazer uma programação educativa e diferenciada. Neste ano, estreou o clássico programa infantil Curumim. Faziam parte da programação os marcantes Bambalalão e Quem Sabe, Sabe. Além da reprise do Sítio do Pica-Pau Amarelo da Globo.

A TV Gazeta era a menor das emissoras paulistas, assim como é hoje. O canal 11 sofria com o sucateamento de seus equipamentos e a programação pouco expressiva. Mesmo assim, era conhecida por dar espaço à programas étnicos e esportivos. Naquele ano, o Mulheres (então “Mulheres em Desfile”) completava seu primeiro ano de existência. A CNT ainda não existia, ela naquela época era a TV Tropical. Uma afiliada da Bandeirantes. E o principal programa do canal era o programa policial apresentado por Luiz Carlos Alborghetti.

Outro fato interessante que alguns talvez desconheçam é que Silvio Santos já tinha seu próprio canal de TV antes da criação do SBT. A TVS Rio operava pelo canal 11 na capital fluminense. A característica marcante desse canal, além de exibir programas de auditório, era que a exibição excessiva de séries e desenhos. Um mesmo filme, por exemplo, era exibido várias vezes em um mesmo dia. Tudo para cumprir a lei que exigia um tempo mínimo no ar por dia.

Os Domingos

Que Silvio Santos reinava nos domingos televisivos há muitos anos, isso não é novidade para ninguém. Em 1981, antes do SBT ser inaugurado oficialmente, as 8 horas de programas do animador tinham exibição garantida na Record (em São Paulo) e na TVS Rio (no Rio de Janeiro). A Globo, que era aversa a programação mais popular na época, não costumava exibir programas de auditório nesse dia da semana. Além de Os Trapalhões e do Fantástico, também exibia o humorístico Planeta dos Homens. A programação se iniciava às 8h com a tradicional Santa Missa em Seu Lar, seguido pelo Globo Rural às 9h. Às 10h do dia 9 de Agosto, estreava o Som Brasil. Apresentado por Rolandro Boldrim, o programa valorizava a cultura popular e a música regional. Destaque também para o Geração 80. No resto do dia, exibia desenhos, filmes e séries estrangeiras.

Chacrinha batia ponto na programação dominical da Bandeirantes, com sua Discoteca (às 17h) e a Buzina (às 20h15). Além disso, o canal 11 exibia o Canal Livre ás 23h, além de um esportivo às 12h30 chamado “Esporte Fantástico” (sim, o mesmo nome do programa da Record).

A RTC aproveitava os domingos para exibir filmes antigos e concertos de música clássica. Além é claro, do Viola Minha Viola com Inezita Barroso às 19h. A Gazeta exibia programas étnicos e esportivos. E a Record, abria sua programação às 7h15 exibindo Missa (em uma época que Edir Macedo sequer sonhava em comprar a emissora).

Abaixo, um fragmento retirado do acervo do Jornal Folha de S. Paulo do dia 19 de Agosto de 1981. Nele, é mostrado a programação das emissoras de TV neste dia tão importante. Como podem reparar, não é anunciado na grade do canal 4 o horário da cerimônia de assinatura da concessão (marcando a inauguração oficial do SBT). Isso porque, relatos dão conta de que esse momento aconteceu no horário em que era exibido o programa Bozo.

1981.png

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória